30/11/2012

Ecos



















Ecos

Ouço gritos
Paridos nos porões
Da alma conturbada
E corro...

Braços estendidos,
Cúmplices
Que tateiam nas paredes viscosas
Do nada, do sempre, do nunca...

Chicotadas indevidas
Ardem-me nas costas
E a escuridão emoldura
Meu desespero.

Encontro suas mãos
Trêmulas, suadas, com medo,
E seus olhos sorriem
Por baixo da última lágrima.

Cedo meu ombro
Beijo sua boca
E seus gritos são,
Enfim,
Apenas novos gemidos de prazer.

Anderson Fabiano

Este poema se complementa com o poema Mudez, de Helena Chiarello, postado no Revelar.

Imagem: Google

12 comentários:

Anne Lieri disse...

Fabiano,sou suspeita pra falar,mas adorei sua poesia e se permitir,já vou levar pra postar no meu cantinho!bjs,

✿ chica disse...

Simplesmente vinda do coração!Linda demais!Bela complementação! abração e tudo de bom aos dois nessa nova semana! chica

Leninha disse...

...e é um poema para se ler com o coração e a alma...e com amor se escrevem os mais belos poemas, as mais ternas canções e as mais doces serenatas.

Uma ode à mulher amada...magnífica declaração do sentimento mais profundo.
Bjsssss para os dois queridos,
Leninha

manuela barroso disse...

...e fiquei num" pensativo cigarro"!
Mudez e Eco. Ou a beleza do Eco te emudeceu, ou a Mudez da poesia em silêncio provocou o Eco...
Seja como for, a minha admiração enorme por poesias tão únicas, tão sentidas. E um Homem quando ama e se afirma assim, é um verdadeiro príncipe!
Parabéns amigo Fabiano
Parabéns querida Helena por esse maravilhoso companheiro!
O meu abraçoenormeeamigo
SEMPRE!

Ana Miranda disse...

Que lindo!!!!!

São tantas emoções: amor, angústia, prazer... Medo, dor, prazer... Desespero, alegria, prazer...

Encantei-me com tão bela poesia!!!

Jorge Sader Filho disse...

São ecos que agradam, Fabiano.
Depois de dúvidas e sofrimentos que a Vida nos impõe, o calor da mulher amada nos consola plenamente!
Aquele abraço,
Jorge

Anne Lieri disse...

Fabiano,hoje passei aqui pra agradecer seu gentil e amoroso comentário lá no Recanto!Ter vc e a Helena em meu blog sempre é uma grande honra pra mim,eu é que agradeço!Fique bem e se cuide!BJS e bom domingo pra vcs!

Helena Chiarello disse...

Sei que sabe o que tenho a dizer em cada silêncio, em cada "mãos trêmulas", em cada temor, em cada sorriso que meu olhar consegue dar "por baixo da última lágrima".

Sei que sabe que a minha "Mudez" fala muito mais do que a voz que eu precisaria pra dizer AMO VOCÊ!

E sei que sabe tudo o que vejo, sei e acredito quando repito as palavras FÉ, ESPERANÇA, CONFIANÇA e AMOR.

Amo sim! Sempre!

Jorge Sader Filho disse...

Passando para agradecer a visita no blog e desejar um excelente dia.
Aquele abraço, Fabiano.
Jorge

mhelena disse...

Tudo é amor neste poema! Amor verdadeiro desses de doar-se por inteiro, desses de curar qualquer dor. Belíssimo! Lirismo e sentimento profundos!

lis disse...

Vi seu livro empilhado na participação da Chica e vim conhecer o escritor e poeta _ muito linda cumplicidade num amor um tantinho doído rs
abraços e bom domingo

Tyrone disse...

E ai de ti que assim não seja. Sortudos!