01/03/2011

Ode à Loucura



Ode à Loucura

Não é na Loucura
Que mora a insanidade
Mas, no modus leviano
Com que vivemos
.......... Nossas loucuras.

Na loucura dos Raros,
.......... A centelha essencial.
Sacra, transformadora,
Que põe brilho nos olhos do Poeta
.......... E, na alma louca,
............... A face redentora.

Na loucura dos Medíocres,
.......... O estado bestial.
Personas sem norte,
De Anima animal,
.......... Almas Loucas sem rumo
............... A espera da morte.

Amo ser Louco,
.......... Pois Poeta e Raro!
Mas, pranteio aqueles outros,
Zumbis imprestáveis
Pra quem
.......... Nem a Poesia
............... Dá-lhes suporte.


Anderson Fabiano


Imagem: Google

4 comentários:

EL AVE PEREGRINA disse...

Anderson, me haces reflexionar al leer este bello poema, pienso que poesía es todo lo que nos rodea, es la vida en su totalidad, son esos cantos a todo lo que percibimos, con o sin tristezas,con pasión o sin pasión...es ese momento exacto el que se capta para pronunciarse,la poesía es la vida transmitida en unas letras acopladas en un papel, pero salen de lo mas profundo...con errores o sin ellos...pero es ese sincero sentir.

Un placer pasar por tu blog.

Saludos fraternos.

Cristal disse...

Oi Anderson, achei seus textos maravilhosos.
Vou seguir... Espero que possa dar uma passadinha no meu também...
Estou seguindo e estarei sempre por aqui...

Beijos

Ani

Helena disse...

Que fosse maior e única a loucura dos Raros, essa essencial, sacra e transformadora, que põe brilho nos olhos dos poetas, boas palavras na boca dos que sabem amar e bons atos nas mãos das pessoas de bem...

Bem sabemos o quanto as outras loucuras, essas de "personas sem norte" tentam, movidos pela própria infelicidade, desfazer a felicidade alheia... Mas o AMOR, movido pela confiança, verdade e cumplicidade, sempre será a última e maior palavra...

Te beijo por esse poema... E pela poesia de cada dia.

Amo sim! Mais... E sempre!

Sonia Pallone disse...

Associo teu blog a um bom vinho! Sempre que posso, venho beber palavras e me embriagar com elas... Beijos