29/01/2011

Tempos, certezas e flamboyants















Tempos, certezas e flamboyants

Não importa o tempo
E sim, o viver.
Nem a vida importa
Mas o sentir, o ser...
Pois no tempo de dizer agora,
Já é tarde, já é antes...

..........Canto, voo, ovo, novo canto
..........Tempo de plumas e cor.
..........Broto, terra, adubo, novo tronco
..........Tempo de folha e flor.

O ontem se perdeu no tempo
Como equívoco pretérito.

E hoje, diante dos olhos,
..........No jardim,
Rubro verde flamboyant
Se fez vida em mim,
Com jeito, sombra e cheiro
Da manhã que busquei
..........E encontrei, enfim...

Anderson Fabiano

Imagem: Foto de Helena Chiarello

8 comentários:

Helena disse...

* * *

Ah! a vida ensolarada
que nasce,
a cada manhã
e colhe,
recompensada,
- mãos, amores e almas dadas -
num cenário flamboyant...

* * *

Como a nossa árvore, grande e belo! E maior ainda, pelo que significa...

Te beijo, amo, beijo!

mhelena disse...

Um flamboyant em chamas falando da vida, da vida que nasce verde e depois vira flor e frutos. È gratificante chegar a este ponto e compreender melhor a trajetória humana.

Gaivotadourada22 disse...

Realmente "Não importa o tempo
E sim, o viver." Para além disso, somente o Encontrar...
Maravilhosa Poesia Poeta... E também maravilhosa as sensibilidade de quem capturou a Tempo as Certezas de um Flamboyant!!!!
Abraços aos Dois!

Niniane disse...

Lindo... Como sempre.
Um beijo
***

Helena disse...

Reverdescer


A um sopro de estação,
contemplo a vida estender-se
como árvore frondosa
com brotos de primavera.

Os ramos e folhas vivas
me contam segredos de vento,
falam de instantes de pássaros
e raios quentes de sol.

_____ Deitado à sombra,
_____ Pulsa meu coração
_____ em tons de verde...

...

(E de branco, como essa Paz e o jasmim. De amarelo, como as pétalas da rosa - sorridente e namorada - que se exibe no jardim... E das outras tantas cores que o coração sabe ter quando sabe que "ama sim!")

Mais e sempre...

Secreta disse...

Excelente jogo de palavras, excelente hino à vida...ontem, hoje...

chica disse...

Adoro tuas poesias ,cheias de recadinhos na entrelinhas, cheios de amor...abração,tudo de bom,chica

Helena Chiarello disse...

Quando os flamboyants voltarem a florir, na próxima primavera, esse poema terá uma imagem tão bonita quanto esse "tempo de folha e flor", tão lindamente descrito em tuas letras...
Amo sim! E mais... E sempre!...