04/04/2010

Partu poeticu


















Partu poeticu (Parto poético)

Onde fica a melhor rima?
Onde está a palavra que inda não vi?
Que cara tem a encruzilhada,
Entre a essência e a letra?

Há uma emoção transviada
Sentimento estranho
Inquietude de entranhas
Que bolina a alma
Intimida o poeta
Provoca e acua a velha pena.

Letras escondidas,
Camufladas, escamoteadas
Em cínicas inverdades
Que precisam ser paridas
Antes que a demência
Me roube o melhor verso.
Aquele que sei,
Nunca escrevi.
.
.
Anderson Fabiano
.
Imagem: Google
.

24 comentários:

El ave peregrina disse...

O sentemento do poeta non é sempre real...tampouco son cínicos, só son saídas dalgún recuncho do pensamento...pero sen intención de danar.

Unha aperta Anderson.

vuelo de hada... disse...

Una hermosura versos POETA!!!
Feliz páscoa!!!

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Belo poema...adorei.


Letras escondidas,
Camufladas, escamoteadas
Em cínicas inverdades
Que precisam ser paridas
Antes que a demência
Me roube o melhor verso.
Aquele que sei,
Nunca escrevi.
.

Lindissimo.


Beijinhos
Sonhadora

Alís disse...

El mejor verso siempre debe estar por escribir, para no perder la motivación para seguir versando.

Pero te acercas mucho a él.

Beijo

Mar Arável disse...

Sempre à procura

do nada que já é tanto

Helena disse...

***
Quem escreve, sempre pensa que o melhor poema ainda não foi escrito. Que ainda há uma palavra a ser descoberta, um trajeto inusitado entre a essência e a letra a ser desvendado, uma forma mágica de saber colocar à luz a "emoção transviada", a "inquietude das entranhas" e todos os sentimentos que "bolinam a alma" do poeta...
Mas você já descobriu o caminho.
A cada poema teu, a certeza de que nenhuma inquietude te intimida. A pena não se acua e nunca as letras se camuflam. Elas sempre são "paridas" de forma natural, fascinante e bela, porque aí "de cima" você consegue ver (e sabe): a melhor rima é sempre a que o coração dita...
Amo esse poema, barba! E você.
Te beijo, carinho, beijo...

Xiomara Beatriz disse...

Los versos ocultan en metáforas sueños …vivencias …cual el mejor verso el que se escribe con la tinta del corazón …como siempre es un placer leerte mi querido amigo …besos

Regina Rozenbaum disse...

Anderson, poeta, amado!
Quem escreve como vc está mais que vacinado contra qualquer tipo de demência!!! E delas eu entendo um cadim rsrs. Tô com sôdade docê lá no Divã.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Laila Braga disse...

Um lindo e belo parto... Demorei a vir aqui... Mas garanto que isso não acontecerá mais...

Ana Lucia Franco disse...

Anderson,

Poema surpreendente, sincero, de escrita incisiva, ótimo..

Sonia Pallone disse...

Poeta é aquele que interage, com cores e matizes, uma emoção que passa a ser nossa...Vc é assim! Bjs.

mundo azul disse...

___________________________________


...sim! Muitas vezes, a essência quer vir a tona, para os braços dos versos, mas alguma coisa a impede... Assim, muitas vezes, o poema fica capenga...


Adorei esse poema!

Beijos de luz e o meu carinho, muito especial...

_________________________________

Nela disse...

Un placer leerle desgranando esos versos.
Gracias por la visita.
Saludos

Maria Helena Sleutjes disse...

Você, incrível poeta, nunca perderá as palavras certas mesmo quando estas estiverem adormecidas, como sementes, germinando.

Multiolhares disse...

Muito bonito o poema, sempre procuramos nas palavras ditas e não ditas a palavra escrita ainda por inventar
BJ

Helga disse...

A palavra que ainda não foi dita, é sempre a mais bonita...

Lindo poema!

Um abraço :)

Baby disse...

"Letras escondidas"...
há que mostrá-las,
inteiras,
para que nos entrem pela janela
e nos tomem,
sorrateiras,
pra que não fiquem perdidas...

Um abraço.

Chuta disse...

Anderson

Hola Anderson:
Muy profundo y dice mucho. Espero siempre ver tus escritos.

Felicidades

Efigênia Coutinho disse...

Anderson Fabiano, belo espaço,boa poesia, serei uma seguidora deste seu evento,
com admiração, Efigênia Coutinho

Maria Helena Sleutjes disse...

E aquele que, por certo, está inscrito em sua alma. Palavras em latência são revistas de total magia. Você é o alquimista!
Bjos

quicas disse...

Depois destes versos - que apreciei, como sempre! - que saia esse verso, "o melhor verso. Aquele que sei, nunca escrevi" ... estou mesmo curioso, embora não me espante: cada verso, sempre verso, é melhor que o outro, sendo "apenas" outro!
Um abraço com saudade (perdoe a brincadeira, amigo!)

Blogadinha disse...

Anderson, amadrinhando tal demência: Inspiração!

Como tu só...
Belo parto :))

Boa semana

Helena Chiarello disse...

É bom saber que, mesmo nem sempre contada pela palavra escrita, a poesia da vida segue acontecendo... Imensamente maior... E infinitamente mais bonita...
Amo sim! Mais e sempre...
Te beijo, beijo...

Helena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.