03/05/2010

ReVoar














ReVoar

No voo que ninguém pensou
Uma liberdade nasceu,
..........Imprevista,
Sem rumo certo.
Mas, com destino sabido:
..........O amor buscado.


Na asa que ninguém percebeu
O abraço novo
..........Do amante imprevisto
Sem origem certa
Mas, o verbo esperado:
..........O amor doado.


No encontro que ninguém previu
O céu se apequenou
..........Pro par imprevisto
Origem e destino
Enfim, irmanados
....................E asas reveladas.

Anderson Fabiano

Estas letras deitaram-se à minha frente, após leitura de um conto de Lya Luft. AF

Imagem: Gethy (edição: Anderson Fabiano)

17 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

Anderson, lindo voo, lindo ceu que se apequenou para o encontro imprevisto.

abrs!

Helena disse...

"...Os sinais nas costas estavam mais destacados, e o desconforto maior, como um ímpeto que precisasse muito sair dali - então, naquele instante supremo, deu um salto e sentou-se, achou que explodia, e de repente começou a alçar-se acima da cama.
Olhou assustada sobre o ombro esquerdo, e notou que nas suas espáduas se abriam duas asas. Com esforço e um terror inicial, conseguiu aterrissar de novo. Andou com cuidado para não levantar voo ao menor movimento. E, quando se contemplou, achou-se belíssima. Achou-se especial. Uma mulher nua com duas asas que logo aprendeu a manejar, abrir, fechar, levantar, dobrar de novo como um leque enorme. E - mais estranho de tudo - não teve medo, mas alegria. Era mágico, ela estava virando anjo. E a dimensão desse segredo quase a derrubou.
(...)
E quando, na penumbra, se abraçaram e logo começaram a gemer, e se esfregar, e se procurar, ela sentiu entre horrorizada e feliz que suas grandes asas se desdobravam. Mas o amante não se assustou. Não se afastou. Apertou-se mais a ela, dizendo, vem comigo, vem comigo, vem comigo.
E abriu suas asas também."
*
Barba,
a emoção de ler esse poema é tão imensa quanto a de vê-lo sendo escrito. E eu sei, as letras não "deitaram-se à tua frente", como disse, depois do conto de Lya. Elas abriram as asas, e voaram.
Te beijo, pela poesia das letras, pela poesia das imagens, pela poesia de cada dia.
Amo sim. E mais. E sempre.

Alís disse...

Anderson, sensual (la imagen invita a soñar) y hermoso poema.
Valió la pena esperarte, aunque se hizo larga tu ausencia.

Un beso

Caterina disse...

Vola, vola caro Anderson poi copri con le tue ali la donna che ti dona l'amore.
Un bacione

quicas disse...

Olá, amigo, já tinha saudades de seus poemas! Mas... valeu a pena a paciente espera: poema encantador, de grande sensualidade e erotismo que, como bem diz Helena - e ela saberá melhor que eu, estou certo - não se deitou à sua frente antes, terá despertado consigo, como se de um sonho lindo em sono apaixonado!
Grande abraço

Xiomara Beatriz disse...

El amor brota sin razón o explicación…amantes que alzan el vuelo rumbo a un mismo sueño…origen y destino unidos por el lazo más sublime el amor y esta poesía …besos

Secreta disse...

Asas que revelaram todo o Amor sentido.
Beijito.

Ana Miranda disse...

Uau!!!
Só quem conhece o amor em sua plenutide consegue perceber as letras que se deitam formando palavras que formam versos que formam poesia!!!
Lindo!!! Parabéns!!!

´Flor* disse...

MAGISTRAL.Este teu amor espalhado em versos,palavras e letras,traduz os voo que alçou de poeta amante..
Lindo amor aqui encontro para sonhar..Bjus\Mil\Flor**

Chica disse...

Maravilhoso e inspiradíssimo,Anderson! um abração e tudo de bom,chica

Fragmentos Betty Martins disse...

._______querido Anderson




é nestes voos_______que os céu se torna "pequeno"


lindo poema:)



___________///






beijO_____ternO

Mahria disse...

Bendita seja Lya, a inspirar você com todo esse amor...

Beijos
Mar

Niniane disse...

Voar com as palavras e os sentires...
Soa-me tão bem.

***

Beta disse...

Olá!!!
To chegando para informar que o Mix agora é .com!!!
Todo o conteúdo do Mix para você, com mais comodidade e profissionalismo!!!

Mude seu link ok?
www.mixculturainformacaoearte.com

Mar Arável disse...

Sopro-te

e voo

Blogadinha disse...

Sempre aprendemos a revoar no amor, porque este se encontra onde menos o esperamos...

Bons voos, Anderson! :))

Maria Helena Sleutjes disse...

É um grande voo poético, este alçar asas para o amor em sua dimensão tão humana e tão verdadeira. Lindo também é o comentário da Helena. Vocês dois formam um par divino!!!
Bjos